segunda-feira, 6 de setembro de 2010

TÁRTARO


Não tem jeito. TÁRTARO só me lembra aquele creme dental Golgate anti-tártaro. Lembro até das cores predominantes: vermelha e marrom. Mas o TÁRTARO aqui é o terceiro deus primordial designado por Hesíodo. Representa, literalmente, o mundo inferior. Olha na figura como ele está lááá embaixo. A distância dele para a terra (Gaia) é a mesma distância que da terra (Gaia) para o céu (Urano). Se você soltasse a maçã de Newton do céu para cair no Tártaro, levaria vinte dias caindo até chegar lá. De fato, altamente inferior.

Hesíodo o chama de “nevoento e bolorento”. Há quem o considere um poço úmido, frio e ‘desgraçadamente imerso na mais tenebrosa escuridão’. Bastante sinistro. Mas eu diria que o Tártaro é antagônico. Veja só. Por um lado, ele beneficia a humanidade aprisionando os titãs, os gigantes de cem braços, a Hidra de Lerna e outros do timão de monstros. Que bom que ele existiiu. Por outro lado, depois da guerra de Titãs, o Tártaro decide casar-se com Gaia. Torna-se pai, nada mais nada menos do que Tifeu, ou TIFÃO. Aquela “coisa” que Zeus enfrentou antes de ingressar de vez no Olimpo.

E é isso mesmo que você leu. Depois de vencer a guerra dos Titãs e destronar Cronos, o todo-poderoso ainda teve que enfrentar o mega monstro Tifão antes de assumir o trono do Palácio do Olimpo. Poxa. Tártaro poderia ter poupado Zeus dessa...

Ah! A NOITE se esconde no Tártaro. Lá é a sua morada. A tal da Estige também mora lá. Os deuses detestam ela. Caos também está lá. Imaginem o ambiente disso.


TIFÃO – “A COISA”
Início da Cadeia de Monstros


Olha a descrição da “coisa”: braços violentos e pés que não cansam nunca. Ombros com cinqueta cabeças de dragões em cada um. Faíscas de fogo nos olhos. Da cintura para baixo, era comandado por víboras. Um gigante maior que as montanhas e que, se abrisse as asas, tapava o sol.

Tifão era a personificação do terremoto. E nesse dia, da luta com Zeus, a terra ferveu. Foi revolta do mar com onda pra todo lado, foi treme-treme de terra com trovões, relâmpagos e raios, foi confusão de Titãs e Hades no Tártaro. O mundo estava em fúria por causa do gigantesco Tifão. Eis que Zeus resolve reagir, e o golpe foi rápido e certeiro. Bastou tomar a decisão: o todo-poderoso empunha suas armas, o raio flamejante, o relâmpago e o trovão e, tomado pelo ódio horrendo, degola instantaneamente todas as cabeças do gigante da hora. Tchau Tifão. Vai para as profundezas do Tártaro que é o teu lugar.

O monstrengo deixou de herança o ventos furiosos que açoitam o mar de vez em quando, e assustam os navegantes. Às vezes causam “grande ruína aos mortais”. Que “coisa” viu... E esse é somente o início. TIFÃO deu cria. Não esqueçam disso. 


5 comentários:

  1. olá!
    tudo bom???
    muito prazer,me chamo Augusto César...
    gostei muito do seu blogger. show de bola!
    estou lhe seguindo,me siga também???
    http://osegredodosescritores.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Tifão.
    Ele deu cria???

    *--*
    (Suspense)

    ResponderExcluir
  3. Eu pessoalmente adoro o Typhon
    Principalmente pela descrção dele e de seus filhos, afinal ele é o pai dos monstros mai legais da Mitologia Grega.

    Se me permite a sugestão , ja q vc falou do Typhon , poderia falar também de sua esposa , a EQUÝDNA adoro ela.

    Bjo Sarah

    ResponderExcluir
  4. "Tifão.
    Ele deu cria???"
    Sim, cérbero é um deles. Filho de Tifão com equinda.

    ResponderExcluir